Novela... ainda por terminar!

O casal vivia feliz. Aparece uma loira insinuante. O gajo embrulha-se com ela. Passado um tempo a cena carnal perde a piada, ele cheio de remorsos decide desembrulhar-se. Diz que ama a mulher, não a pode enganar mais. A loira não aceita, diz que larga a vida toda (marido e filhos) para ficar com ele. O gajo assusta-se. Foge dela. A loira faz chantagem, ameaça contar à mulher, a legitima. Ele não cede.

A loira começa então a perseguir a mulher. Mensagens, telefonemas anónimos, cenas no meio da rua. Chama amigas loiras, para ajudar à festa.

A mulher não descansa e vasculha e vasculha e encosta o marido à parede. Lavado em lágrimas o gajo conta a verdade.

O mundo desmorona, cenas feias, violência emocional, desespero, etc etc etc.

Começa do zero, o casal feliz...

O marido da loira não faz ideia de nada.

Aparece na historia uma comissária da Policia, a quem o gajo pede ajuda!

A Comissária afinal não era comissária. Fala com a mulher, fala com a loira, fala com o gajo. A comissária que não é comissária diz à loira que o casal feliz interpôs um processo em tribunal contra ela. A comissária que não é comissária pede 5 mil euros à loira para limpar o suposto processo. Mas não havia nenhum processo!

O gajo é chamado ao DIAP porque a loira fez uma queixa contra a comissária. O gajo conta a história ao investigador.

O investigador diz:

- Você pagou caro amigo!

3 comentários:

milhita disse...

Ouvem-se aplausos e, ao longe, uns gritinhos de umas gajas louras que entretanto fizeram madeixas e estão duplamente louras.
Eu cá estou do lado da legitima, não é loura, não é burra, não é vaca e acaba a rir-se disto tudo!

Anónimo disse...

Lembra-te que enquanto ele não fo loiro não há puta de loira que resista!

Além disso as loiras estão sp muito mais interessadas pelas gajas dos gajos, que propriamente pelos gajos!

Vai po mim, que tirei mestrado nisso! ;)

Beijinhos, muitos e com um sabor especialmente carinhoso... por estes tempos menos bons que já ultrapassaram um post esta semana...

Sandra disse...

Eu nunca consigo emitir uma opinião sem conhecer as pessoas e as suas motivações.

Apenas digo que nunca se deve dizer nunca...

Não acredito que existam pessoas só boas nem só más. Somos um misto de tudo.

...